No futuro…

Um tempo atrás se falava que no futuro as empresas seriam praticamente digitais, que o varejo ia passar por uma transformação e as lojas seriam quase um showroom onde os clientes iriam para tocar, pegar, experimentar as mercadorias e as efetivas compras até poderiam ser feitas nesta “loja” mas, e de modo especial, seriam feitas no conforto do lar.
Tempos atrás se dizia que no futuro as compras seriam multicanais, isto é, o cliente poderia comprar por telefone, na própria loja, pelo site, pelo aplicativo etc e as entregas seriam feitas no endereço indicado pelo cliente mas ele também poderia ir até a loja para buscar. Sim, a compra se daria por meio eletrônico e o cliente poderia ir buscar seu produto na loja.
Falava-se que no futuro as escolas seriam on line e que todo a matéria, todo o conteúdo didático estaria dentro do computador e na internet após as explicações do professor.
Aliás, projetavam que no futuro a sua consulta médica também poderia ser através da tela de um computador…
E o que vemos atualmente?
Lojas “se virando” e atendendo na casa do cliente, enviando sacolas de produtos para ele escolher; bom isso lá não é novo mas muitas empresas se negavam a fazer isso pelas razões mais diversas possíveis.
Empresas de vários ramos, que só atendiam no balcão, estão sendo obrigadas a reverem os seus conceitos e irem ao encontro das necessidades dos clientes e de mãos dadas com a tecnologia.
Escolas tiveram que aderir às aulas on line ministrando conteúdo, aplicando provas e trabalhos; e também aprendendo a fazer home officce e já ensinando aos alunos e mostrando a importância da disciplina de horários, mesa arrumada e até uniforme.
Os clubes de serviço, as entidades e até as igrejas aprenderam, na marra, que suas reuniões, deliberações e cultos religiosos podem ser on line. Aprenderam que a distância não mais impede as pessoas se de verem, conversarem e rezarem.
Os poderes públicos também estão se reunindo virtualmente e tentando dar sequência aos seus trabalhos e atividades.
Será que o futuro chegou e não avisou?
Será que ele foi adiantado, que chegou antes da hora?
Ou será que todos não percebemos a sua chegada sorrateira e estamos culpando o coronavírus por isso? E pior, estamos ávidos pelo retorno da normalidade para poder fazer as mesmas coisas e do mesmo jeito?
Uma coisa é fato: nada será como antes e não haverá um Dia D, aquele momento onde alguém irá dizer pronto, voltamos ao normal. Nada disso, a normalidade será conhecida aos poucos, iremos nos acostumando com novas formas de comprar, de vender e de entregar. As relações serão outras, haverá mais valor em coisas simples e as pessoas certamente irão dar mais valor nas outras não pelo que possuem ou pelo que podem comprar mas pelo que são e pelo amor que carregam dentro dos seus corações.
No futuro iremos valorizar a vida hoje com o que temos e com o que somos e não iremos esperar o dia que tivermos isso ou aquilo para enfim sermos felizes.
No futuro daremos mais importância à presença do que ao presente, daremos mais valor ao ser do que ao ter e o abraço será, enfim, a porta de entrada do coração que será só amor e oração!

About the author: Admin

Leave a Reply

Your email address will not be published.